terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Filme "Avatar " de James Cameron


Falar de um filme que estava a ser produzido e criado à quase uma década, que custou mais de 400 milhões de dólares e que trazia consigo uma carga altíssima de expectativas nunca será uma tarefa
fácil.O que posso dizer depois de tanta coisa que já foi dita ( boa e má ) é que sim,  pelo menos para mim valeu toda a espera e expectativa, Avatar é simplesmente um filme espectacular e emocionante.
O mundo imaginário do filme é tão vivo e bem feito que parece real. Pandora tem uma rica fauna com uma floresta ‘luminosa’ e que parece viva em uma biodiversidade tão incrível e bem detalhada que impressiona. Os animais e também a raça humanóide que habita o planeta, os Na´vi são tão bem feitos em termos de cultura e organização social que ficamos a pensar se todo aquele mundo e todos que nele habitam realmente não existem.

O filme conta a história de Jake Sully, um fuzileiro paraplérgico que chega ao planeta Pandora para substituir o seu irmão morto numa missão que visa obter um minério muito valioso, para isso tendo que enfrentar os habitantes locais conhecidos como Na´vi. E alguns humanos, como Jake, utilizam-se de avatares, que são seres Na´vi criados geneticamente em laboratório, que conseguem receber, através de uma câmara a consciência de um ‘controlador’ humano.

É claro que filmes perfeitos não existem e para mim tem um senão, o enredo da história não traz nada de novo e até já é um tema um bocado batido, a defesa do planeta e da natureza, não é que não seja um bom tema, simplesmente já está muito visto e tratado em vários filmes.
A diferença está em que James Cameron soube construir os personagens e criar cenas de acção tão fantásticas que, sinceramente, não vi nenhum mal no tema não trazer nada de novo, para mim pelo menos funcionou. Aconselho.

Venda de livros - informação

Pessoal
como já aqui viram num post anterior tenho alguns livros à venda por metade do preço e alguns nunca foram lidos ( é daqueles que nos oferecem e não são bem o nosso género, ou que compramos só para dizer que temos, na esperança de um dia os lermos..), agora o que quero esclarecer é que o preço dos portes dos CTT para livros fica mais ou menos em 2€ já com o custo da embalagem incluída, por isso ao preço do livro só tem que acrescentar mais 2,00€ de portes, o que mesmo assim compensa.

Por isso se estiverem interessados em algum ( vejam a lista no meu post de 03 de Dezembro de 2009) enviem-me um mail para :

cscf1@hotmail.com

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Os Pilares da Terra - Volumes I e II


Primeiro que tudo quero desejar a todos votos de um grande 2010, e dizer que estou de volta com as minhas sugestões de leitura.

Assim e para começar bem o ano, deixo-vos aqui uma sugestão para um livro em 2 volumes, que não é propriamente uma novidade, mas é sem dúvida um grande livro, aliás é dos melhores romances históricos que já li até hoje ( e os que li não foram poucos).Devo dizer que sou apaixonada por livros do género, porque permitem ao leitor uma digressão e uma percepção da época abordada, do seu modo de vida, forma de pensamento, de estar e de agir e ensinam sobre os povos, sua cultura, usos e costumes da época em questão. 
Escrito por Ken Follett, escritor galês, conhecido e apreciado pelos seus sucessos na literatura policial e de espionagem, "Os Pilares da Terra" começou a ser a ser concebido na década de 70 quando Follett visitou uma catedral medieval na cidade de Peterborough. Esta visita fez nascer nele uma verdadeira obsessão por aquelas elegantes construções, iniciando então uma pesquisa sobre catedrais e sobre a época medieval da Inglaterra do séc. XII. Então em 1989 Follett publica "Os Pilares da Terra"baseado na sua pesquisa.

SINOPSE : Inglaterra, 1123, um homem é enforcado numa praça cheia de gente que se acotovela para ver a face da morte. Quando ela está expressa na face daquele homem, uma jovem mulher, grávida, profere uma maldição fugindo logo de seguida. Os presentes ficam atemorizados, essa maldição irá percutir-se no futuro e inicia-se desta forma uma história que tem como protagonistas principais uma catedral e a época. Assente em várias histórias paralelas, todas elas com um fio condutor que as une, Ken Follett consegue reconstituir magistralmente aquela época, construindo um painel de personagens que abrande todos os géneros:
O clero, onde o prior Philip e o malévolo Valeron Bigot são a sua face para o bem e para o mal; O Povo, por Tom Builder, Alfredo e Jack; A aristocracia, com Aliena, Richard, William Hamleigh, o sanguinário cavaleiro que se vê conde; O rei que surge a espaços; Os proscritos, gente sem casa, sem nada, representada por Ellen. Todos estes personagens gravitam em torno da construção da catedral de Kingsbridge cujo priorado, dirigido por Philip é o responsável.

E depois disto só vos posso repetir que adorei!




sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

FELIZ ANO NOVO !
VOTOS DE UM GRANDE 2010 !